Esmeralda de Jesus Freitas Garcia

Esmeralda de Jesus Freitas Garcia ou, simplesmente. Esmeralda de Jesus, como ficou conhecida, é uma das maiores velocistas e saltadoras da história do Brasil.

O norne nunca fez tanta justiça. Poético em sí, revela algo precioso, lapidado pelo Divino. Permite imaginar um Cristo bandeirante, enfrentando as agruras da mata cerrada, da escassa capacidade da compreensão humana, na busca febril por um tesouro: Esmeralda,o ouro verde.

Curiosamente, Esmeralda é, de todas as atletas que compõem o panteão dos homenageados pelo Instituto Memorial do Salto Triplo, a pedra de toque, a pedra filosofal. O início e o exemplo. A vida sedivide em primitivos e derivados. Primitivas são as criações da natureza. Derivados, o que a ação humana faz com elas. Se não houvesse a pedra, inexistiria o pedreiro. Eassim por diante.

Nesse contexto, Esmeralda de Jesus é o primitivo. O recurso natural que permitiu a suas sucessoras o espelho. Sua carreira se desenvolveu nas décadas de 70 e 80, quando a infra-estrutura do atletismo nacional só dava vazão aos fora de série. E ela agiu, no campo e na pista, como um rolo compressor caçando borboletas.

Tecendo, de forma contundente, a linha fina entre a força desmedida e a fragilidade do que então existia e era compreendido como objetivo atlético.

Para falar de uma atleta do porte de uma Esmeralda de Jesus não se pode lançar mão da prática do varejo, mas sim a do atacado. Ela mesma, no currículo que enviou ao Memorial do Salto Triplo, observa: "Só́ considerei primeiros e segundos lugares. Exceto os obtidos em grandes competições,como o campeonato americano, quando a classificação entre osfinalistasjá é bom resultado".

Pois bem, em sua trajetória esportiva, Esmeralda obteve 33 vitórias internacionais; 30 nacionais e 13 estaduais. Vale ressaltar a inversão da pirâmide normalmente feita pelos vencedores.

A mineira de Sete Lagoas subiu muito mais em pódios de competições mundiais do que em pódios verde-amarelos. Como um cometa, Esmeralda de Jesus deixou um rastro luminoso, corporificado emrecordes.

Nas categorias menores (infanto-juvenis), quebrou seis recordes brasileiros e seis sul- americanos. Competindo como juvenil, quebrou sete melhores marcas registradas no Brasil e outras sete, devidamente aferidas na América do Sul.

Na categoria adulta. Esmeralda contabiliza oito recordes brasileiros, oito sul-americanos e dois batidos em campeonatos universitários dos Estados Unidos, primeiro mundo do atletismo. Poderíamos parar por aí e dizer: "Olha, moça, aqui na Academiade Letras do Atletismo pátrio, você pode entrar sempedir licença. Quer um café? Água? Qual poltrona mais lhe agrada?". Mas há mais. Bem mais.

Outros 14 recordes brasileiros e sul-americanos, nas mais diversas categorias, foram batidos por Esmeralda de Jesus, como é internacionalmente conhecida e reconhecida. Todavia alguns, não puderam ser devidamente homologados, porque não havia o recurso da anemometragem (aparelho utilizado para medir a velocidade e constatar a direção do vento em provas específicas).

Outros, em razão de haverem sido conquistados em competições não reconhecidas pela Confederação Brasileira de Atletismo, a CBAt, como, por exemplo, os Jogos Estudantis.

Esmeralda foi uma das primeiras atletas a deixar o Brasil e buscar intercâmbio e excelência no Exterior. Logo após participar das Olimpíadas de Montreal em 1974, foi treinar e competir nos Estados Unidos. Na terra do Tio Sam, misturou chiclete com banana, como diz a canção popular. Eo samba resultou em marcas expressivas.

Em um campeonato americano, disputado em 1979, correu os 100 metros rasos em 11,48 s. O tempo baixou para 11,35 no evento realizado em 1981, no "Flórida State Invitation".

Detentora de antigos recordes, ainda não superados, como o da prova dos 200 metros rasos do Sul-Americano de Caracas, quando, aos 15 anos de idade, cravou o tempo de 24,45, Esmeralda de Jesus alcançou marcas, então sem precedentes, no salto triplo, em Siracusa (Estados Unidos): 13,29 m e 13,51 m.

No salto triplo, prova de atletismo que mais trouxe medalhas olímpicas ao Brasil, Esmeralda há de permanecer sempre na história. Sua melhor marca oficial, indoor e outdoor, foi de 13,89171. Durou de 1985 a 2002, exatos 17 anos...

Em 1984, participou das Olimpíadas de Los Angeles e, em seguida, voltou ao Brasil onde, a partir de 1989, passaria a dedicar sua imensa experiência no trabalho comcrianças e adolescentes.

Atual vice-presidente da Federação Paulista de Atletismo e há cinco anos como difusora do Programa Mais Esporte, da entidade.Esmeralda dá aulas de iniciação ao atletismo para jovens carentes, em sua maioria, no Clube da Cidade Joerg Bruder, em Santo Amaro, zona sul da Capital paulista.

"Eles saem da periferia, chegam pontu- almente às g horas. São pequenos atletas que se preparam, para quem sabe um dia, integrar uma seleção brasileira e concreti- zar seus sonhos", diz a professora Esmeralda, com seu eterno brilho de esperançanos olhos.

  
Curiosidade
O recorde sul-americano dos 6o metros rasos indoor (7 s 26) foi lavrado em Ata, no dia 13 de março de 1981. Até os dias de 2008, tal marca permanece intocada. Há 27 anos, portanto, atletas do Continente tentam bater a façanha conseguida por Esmeralda de Jesus em Pocatello, cidade norte-americana do Estado de Idaho.
  
Dados Pessoais
Atleta: Esmeralda de Jesus Freitas Garcia
Filiação: Dimas Rodrigues de Souza e Raimunda Pereira de Freitas Souza
Data de nascimento: 16/02/1959
Naturalidade: Sete Lagoas /MG
  
 
 
Endereço
Rua Tutóia, 324 - Cj 1 
Paraíso - São Paulo 
04007-001 - SP 
(0XX11)2305 6094