Nelson Prudêncio

Um raio pode cair duas vezes no mesmo lugar? Dizem que não. E assim também acreditavam os especialistas do atletismo após a saída de cena do grande Adhemar Ferreira da Silva. "Outro como Da Silva? Jamais", certamente pensavam os experts internacionais do salto triplo.

Afinal, o Brasil não tinha tradição alguma na modalidade. Da Silva era visto como um fora de série, um cometa de volta longínqua por essas paragens. Mas, contrariando todas as expectativas, o Brasil forjou Nelson Prudêncio, triplista que daria prosseguimento à tradição do País na prova.

Aos 24 anos, estava disputando as Olimpíadas de 1968, na Cidade do México, sendo protagonista de um dos mais belos momentos da história do atletismo mundial. Foi na luta pela medalha de ouro, quando ele, o soviético Viktor Saneyev e o italiano Giuseppe Gentile, chegaram a quebrar o recorde mundial nove vezes em apenas quatro horas.

Os registros comprovam que, naquela ocasião, a marca subiu de 17,03 m para 17,37 m. Qual esportista não gostaria de ter estado lá, naquele 17 de outubro de 1968, assistindo a tão emocionante competição?

Prudêncio alcançou a marca de 17,27 m. Ficou com a medalha de prata, atrás, apenas, de Saneyev, que cravou 17,37m em sua última tentativa.

"Numa Olimpíada, o estado psicológico pesa muito na decisão da prova. É difícil controlar a ansiedade. Dormir, acordar, se alimentar. Isso tudo, momentos antes da prova, o atleta já faz de forma compenetrada, focado numa disputa de tão alto nível. É preciso aquele algo mais. O olhar da multidão pesa sobre você. Aí é que entra a fibra do campeão. Confesso que, no México, esperava saltar 16,56 m. Já estaria satisfeito. Mas acabei me superando. As pessoas podem muito bem crescer em determinadas circunstâncias", relatou Prudêncio em entrevista para esta pesquisa.

A mesma situação, o garoto de Lins haveria de viver quatro anos depois, nos Jogos Olímpicos de Munique, quando levou mais uma medalha para o atletismo brasileiro, dessa vez de bronze, com 17,05 m.

Tantos títulos importantes. Quem diria que aquele rapaz que iniciou sua carreira em 1964, no Torneio de Aspirantes da Federação Paulista de Atletismo, atingindo, com apenas um mês de treinamento, a marca de 12, 5gm e, assim, obtendo seu primeiro ouro em competição oficial, poderia ir tão longe? A resposta está com as crianças e adolescentes de hoje. Sonhar é preciso. E chegar ao topo, possível. Um dos maiores astros do atletismo brasileiro, Prudêncio é um estudioso do esporte. Fez Educação Física em São Carlos, onde foi professor da matéria. Elaborou uma elogiada tese de mestrado que entrou para os anais da história do desporto nacional, cujo teor esteve à disposição no site da Federação Paulista de Atletismo por mais de ano. Luta pela evolução da prática desportiva no Brasil enquanto arma propulsora de inserção social e cidadania, estando sempre presente a importantes eventos do género. Além de exímio atleta, Prudêncio é uma enciclopédia do atletismo do passado, do presente e do futuro. Testemunha ocular de uma saga de valor inestimável. Hoje, ocupa a vice-presidência da Confederação Brasileira de Atletismo, a CBAt, lídima representante da IAAF em nosso País.

  
Principais Conquistas
  • Pentacampeão dos Jogos Abertos do Interior.    
    • 1965, 66, 67, 69, 70;            
  • Hexacampeão Estadual; Tetracampeão Brasileiro e Sul-americano de Salto Triplo:
    • 1965, 67, 69 e 71.
  • Campeão dos Jogos Luso-Brasileiros em Lisboa (Portugal),
    • com a marca de 16 m 18, em 1966;
  • Vice-Campeão dos Jogos Pan-amerícanos de Winnipeg (Canada),
    • com a marca de 16,45 m, em 1967;
  • Vice-Campeão Olímpico de Salto Triplo na Cidade do México,
    • com a marca de 17,27 m, em 1968.
  • Vice-Campeão Pan-americano do Salto Triplo,
    • com a marca de 16,81 m, em 1971.
  • Medalha de Bronze nos Jogos Olímpicos de Munique (Alemanha),
    • com a marca de 17,05 m, em 1972.
  • Campeão do Salto Triplo da Copa Latina no Rio de Janeiro,
    • com a marca de 16,93 m.
  • Quarto lugar nos Jogos Pan-americanos na cidade do México,
    • com a marca de 16,85 m
  • Participação na XXII Olimpíada de Montreal (Canadá).

TROFEUS, COMENDAS E TÍTULOS:

  • 1968 - Recordista Mundial e Olímpico do Salto Triplo, conferido pela International Amateur Athletic Federation - IAAF;
  • 1968 - Trofeu Helms Athletic Fundation em Los Angeles, por ter sido classificado entre os seis melhores atletas do mundo.
  • 1971 - Comendador do Esporte Brasileiro, conferido pelo Conselho Nacional de Desportos do Ministério da Educação.
  • 1987 - Cruz do Mérito Desportivo, outorgada pelo Presidente da República Federativa do Brasil, Emílio G. Mediei.
  • 2006 - Doutor em Ciência do Desporto pela UNICAMP - Universidade de Campinas.

  
Dados Pessoais
Atleta: Nelson Prudêncio
Data de nascimento: 04/04/1944
Naturalidade: Lins / SP
Técnico: Clóvis do Nascimento
  
 
 
Endereço
Rua Tutóia, 324 - Cj 1 
Paraíso - São Paulo 
04007-001 - SP 
(0XX11)2305 6094